terça-feira, 8 de setembro de 2015

ADOÇÃO DE CÃEZINHOS FORA DO PADRÃO

          Oi, gente, como foi o feriadão? Aproveitaram bastante?     
          Hoje vim apresentar pra vocês os meus dois filhotes de 4 patas em mais um repost do Caveiras e Flores! Ambos são muito especiais e cada um tem seu lugar especial no meu coração. Além disso, gostaria também de tratar aqui sobre um assunto muito importante que é a adoção, principalmente de cães menos “adotáveis”.



              Esse é o Gimli (aloka fã de Senhor dos Anéis haha). O chamamos também de Pirata, acho que já deu pra entender por que, né?! Rs
              O vi pela primeira vez num anúncio de animais para adoção. Lá estava ele, todo lindo, com uma carinha de piedade e aquele olhinho faltando... Meu pensamento é que ele dificilmente seria adotado, pois as pessoas dão muito valor à aparência dos bichinhos. E no impulso, levamos ele pra casa. A melhor coisa que poderíamos ter feito! Criaturinha mais dócil e amável do mundo, com tanto amor pra dar...
              O Gimli foi atropelado e resgatado por uma moça linda de coração enorme. Ele estava com a bacia quebradadoença do carrapatoberne na cabeça e uma bicheira no olho, que infelizmente foi removido. Quando ele terminou de ser recuperar das cirurgias, ela o botou pra adoção e hoje ele está aqui conosco! É um cachorro como outro qualquer! Apenas não late, não sei se é algum trauma, mas é o cachorro mais dócil que já vi na minha vida!



              A Chica eu a vi pela primeira vez em uma feira de adoção que ajudei, tomando conta dos cachorros. Ela já tinha esse nome, por causa de uma medalhinha de São Francisco que ela ganhou quando foi resgatada. Me apaixonei à primeira vista pela carinha pidona dela (a segunda foto foi tirada nessa feira) e jurei pra mim mesma que assim que eu tivesse minha casa eu a adotaria. E finalmente aconteceu! Mudei em um dia e ela chegou no outro!
              Ela foi resgatada prenha por uma ONG aqui da minha cidade e foi muito bem tratada. Teve 8 filhotinhos e 7 deles foram adotados. Só ela e mais um filhote lindo ficaram pra trás. Agora é só ele, que já tem mais de 1 ano, e por ser de porte médio-grande dificilmente vai encontrar adotante, apesar de lindo e dócil.
              A Chica é outro docinho! Super carente, brincalhona, quer brincar com todos que chegam aqui! Um anjinho de cadela!

              O que eu quero falar aqui é: o que o Gimli e a Chica têm em comum?
              Ambos são do tipo de cachorro que muitas pessoas não querem ter. Os dois têm cerca de 3 anos, já são cães adultos, e são de porte médio-grande. O Gimli, então, falta um olho. Ambos são cães dóceis, carentes e brincalhões, não latem pra estranhos (não servem pra cão de guarda [o que também acho ridículo, pois cachorro não é empregado de ninguém]). Ou seja, são cães menos “adotáveis”. São os cães que sempre sobram nos canis porque ninguém quer adotar.

              As pessoas têm um preconceito enorme com relação a adotar esse tipo de cão. Na cabeça da grande maioria, na hora de ter um cão ele tem que ser comprado e filhote. De preferência porte pequeno, principalmente pra apartamentos.  Um cachorro com alguma deficiência então... jamais! E a coragem de sair com ele na rua?
              As pessoas têm que parar de achar que cachorro é objeto de exposição, pra ficar exibindo. São TODOS CACHORROS, do mesmo jeito! Por que ter vergonha de sair com um vira-latas na rua? Tem que ter a raça na ponta da língua quando alguém perguntar? E por que ter vergonha de passear com um cão deficiente? A pessoa só tem cachorro pra exibir?

              Vamos pensar um pouco: o trabalho que um cão de porte médio-grande dá, é exatamente o MESMO trabalho que um pequeno. O trabalho que você vai ter pra limpar um cocô pequeno é o MESMO que você vai ter pra limpar um grande. A única diferença no caso do tamanho são os gastos. Gasto maior com ração, gasto maior com anti-pulgas, etc. Mas pra quem tem grana pra comprar cachorro, normalmente isso não faz diferença, não é verdade? Outra coisa, o fato da pessoa morar em apartamento de forma alguma te obriga a ter um cão pequeno. O cachorro não vai ocupar o apartamento inteiro! Ele vai ocupar apenas o espaço em que ele estiver! E tipo, se ele for muuuito grande, vai ser coisa de 1m². Se a pessoa passear com ele pra se exercitar, não tem o menor problema. E tem cachorros que são naturalmente mais quietos, que gostam de dormir o dia inteiro e o fato de morar em apartamento não faz a menor diferença pra eles. Eles só querem amor!

              Outra coisa é a idade. Existe um grande equívoco com relação a essa preferência por adotar animais filhotes. Acham que por ser filhotes os bichinhos vão ser educados mais facilmente, o que é um grande engano. Os filhotes são bem mais difíceis de lidar, pois ainda não conseguem entender os comandos. Além de fazerem as bagunças características como roer os móveis por causa da dentição e curiosidade característica dos filhotes. Outra coisa que infelizmente acontece com a adoção de filhotes é com relação ao porte. A pessoa adota/compra um filhote, ele cresce mais que o esperado e o jogam na rua. Adotando um animal adulto você não vai ter esse problema, já estará ciente do tamanho dele. O mesmo vale pro temperamento; ele sendo adulto você já vai saber se está lindando com um cachorro dócil ou feroz, que se dá bem ou não com outros animais, etc. Sem falar que ele não vai chorar durante a noite.

              Algumas pessoas também optam por adotar um cão filhote pra que o vínculo cresça à medida que o cachorro cresce, como se o cão fosse se apegar ao dono apenas se for adotado quando filhote, isso é outro mito, pois os cães adultos, principalmente resgatados da rua, de maus tratos, vão ser pra sempre imensamente gratos e amorosos para com os seus tutores. Falo isso por experiência própria.

              Quanto à raça, acho até complicado falar sobre o assunto sem me exaltar um pouco, pois o preconceito com cães sem raça definida é muito grande e a indústria de animais de estimação é nojenta. Exploram as matrizes e depois descartam na rua, vendem filhotes baratos demais e depois a pessoa que compra não tem condições de continuar cuidando e mais uma vez, os cães vão parar nas ruas. Aí adultos, vão para os canis e ONGs e ficam sem adotante por serem adultos.
              É normal a pessoa ter certa simpatia por determinada raça, os cãezinhos de raça também não devem ser hostilizados, afinal, são cães como quaisquer outros e não têm culpa de nada que acontece. O problema é que certas pessoas tem uma obsessão com raça, às vezes vivem em condições financeiras não muito favoráveis e mesmo assim quase passam fome pra poder comprar um cão de raça. O que gera um problema ainda maior, pois os cães de raça são naturalmente mais frágeis e mais vulneráveis a doenças. Sendo assim, geram mais gastos. Os vira-latas não sofrem desse problema, pois são naturalmente mais fortes, tanto pela mistura de raças, tanto pelo que eles passam nas ruas, tendo o seu organismo fortificado e menos vulnerável a doenças.

              Cães com deficiência então... nem se fala. Parece que as pessoas acham o fim do mundo ter um cão assim. E a coragem pra sair na rua e exibir um cão faltando um olho, uma pata ou orelha? Assim, os coitadinhos vão ficando pra trás nos canis... entra cão, sai cão e eles continuam lá, sendo apenas motivo de pena. Pena não ajuda em nada, gente! Esses são cães como outros quaisquer e merecem muito amor, mais ainda por terem sido tão maltratados pela vida!


              Então, vamos tentar acabar com esse preconceito e aprender que cães não são pra exibir? Que existe todo tipo de cachorro e que todos merecem muito amor e carinho? Todos são dignos de respeito e de orgulho dos seus tutores! Ninguém jamais deve ter vergonha de falar que tem um cão vira-lata ou deficiente. Adote um bichinho pra ter um amigo, não pra ficar mostrando. E amigos são amigos, independente da aparência! (E são sempre muito lindos e fofos e ficam fazendo fofurices, até dormindo são fofos *-* )

             Uma coisa que não podemos esquecer, seja nossos amiguinhos de raça ou não, é a esterilização. É muito importante castrar seu animalzinho, mesmo que você não tenha 2 de sexos diferentes em casa. Eles podem fugir e às vezes sem que você saiba (no caso de um macho), gerar uma dúzia de filhotes na rua que depois dificilmente encontrarão um lar. Uma coisa divulgada por aí é que as fêmeas precisam ter pelo menos uma cria pra depois serem castradas e isso não é verdade. As fêmeas castradas antes do primeiro cio têm a chance drasticamente reduzida de desenvolver câncer de útero e mamas.


              Então, galeres, fico por aqui, espero que tenham gostado do assunto de hoje. Compartilhe pra ajudar a abrir a mente dos seus amigos, que muitas vezes tem preconceito com o tipo de cão a adotar não por maldade, mas por não saber como é bom e vantajoso adotar um amigo fora dos padrões!

2 comentários:

  1. Muito fofos vc, seu esposo e os catchurinhos. Eu infelizmente ainda não pude adotar, quero terminar a obra da minha casa para dar mais conforto para meu futuro bichinho. Espero poder ter uma família completa, com meu noivo e os filhinhos de patas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nhaaa, sua linda! Logo logo você poderá ter seus filhinhos lindos! Torcendo aqui! :D

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...