sábado, 21 de março de 2020

EM TEMPO DE CORONAVIRUS, PREFEITURA DO MAIOR POLO MOVELEIRO DE MINAS GERAIS NÃO VAI MANDAR FECHAR SUAS FÁBRICAS

              Atualização 22/03 às 15:40:
a prefeitura de Ubá emitiu nota na sua página no Facebook comunicando o fechamento da indústria e comércio e instala barreiras sanitárias nas entradas e saídas da cidade. Gratidão a todes que divulgaram a situação e fizeram pressão.

             
Reitero que todo cuidado é pouco, pois o número de notificações de casos suspeitos não é o real, visto que há muitas pessoas sintomáticas em suas casas sem procurar o sistema de saúde.

             O post continuará no ar pra expor a negligência do Intersind e prefeitura, que deveriam ter tomado essa atitude muito antes, e em caso de contágio grave na cidade, essas entidades deveriam ser responsabilizadas.

              A prefeitura da cidade de Ubá – MG emitiu nesta sexta-feira 20/03 em torno de 19:00 um comunicado na sua página do Facebook onde citava resumidamente as atividades que deveriam ser suspensas ou limitadas como medida de contenção do Covid-19. Porém, no comunicado sequer mencionou sobre as fábricas de móveis, que são as principais empregadoras na cidade e região.

Post da página da Prefeitura de Ubá no Facebook

              
O polo moveleiro de Ubá é considerado o maior de Minas Gerais e um dos principais do Brasil e engloba as cidades de Ubá, Guidoval, Piraúba, Rio Pomba, Rodeiro, São Geraldo, Tocantins e Visconde do Rio Branco. São cerca de 300 fábricas expondo cerca de 13.000 funcionários a aglomeração e, no caso dos motoristas, até viagens pra fora do estado. Muitos dos funcionários dessas fábricas dependem de usar transporte público, alguns trabalham em cidades vizinhas. Ubá, que tem cerca de 115 mil habitantes, é a maior e principal cidade da microrregião, e já conta com 31 casos suspeitos de corona e mais 2 descartados (alguém sabe se já foram apresentadas as contraprovas dos exames?). A cidade não tem estrutura médica pra receber uma grande quantidade de infectados e, além disso, muitas das cidades próximas, que são bem menores, nem hospital têm e sempre recorrem a Ubá ou a Juiz de Fora, que fica a cerca de 100 km e recebe pacientes de toda a Zona da Mata mineira, mas que está completamente despreparada pra atender até mesmo a demanda local, tendo já 5 casos confirmados e 57 suspeitos, sendo a segunda cidade com mais casos confirmados em MG até o momento, tem grande proximidade com o Rio de Janeiro e fluxo alto de pessoas entre essas cidades.

Número de casos em Ubá (Imagem: facebook Prefeitura de Ubá)

              Por isso, é mais que urgente o aumento das medidas de contenção em toda a região, visto que não há estrutura médica pra atender um provável aumento nos contágios. Móveis são itens extremamente supérfluos no momento e a vida de tantos trabalhadores e suas famílias são muito mais importantes que a economia local ou feiras de exposição de mobília. Assim, faz-se necessário o fechamento total obrigatório dessas fábricas e a suspensão das entregas de móveis nesse momento, além da garantia de remuneração desses trabalhadores.

Parte do comunicado do presidente do Intersind (Print: Jornal O Noticiário)

              Mas na contramão de tudo isso que vem acontecendo, no dia 17/03 o presidente do Intersind (Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Mobiliário de Ubá), Áureo Calçado Barbosa, emitiu um comunicado na rádio local Líder FM, onde ele diz que “a vida e o trabalho têm que continuar” e que “por trás de tudo isso, de todo esse sensacionalismo exagerado, existem estratégias comerciais internacionais”, usando argumentos duvidosos de cunho conspiracionista que estão sendo amplamente divulgados por defensores de grandes empresários ou do atual presidente do país, que vem fazendo um péssimo trabalho (ou não vem fazendo trabalho nenhum, na verdade) para conter a disseminação do vírus. Segundo o sindicato, haverá nova reunião pra tratar do tema apenas na próxima segunda-feira, 23/03.

              A prefeitura de Ubá, em vez de suspender de forma obrigatória o funcionamento das fábricas desses itens supérfluos pra garantir a saúde e segurança dos seus cidadãos, emitiu no dia 20/03 o decreto de nº6.361, onde declara suspensas por 10 dias as atividades de alguns estabelecimentos, enquanto limita as atividades de outros. Mas quanto às fábricas, no Art. 17, faz apenas uma recomendação, de que estabeleçam escalas e revezamento de turnos, de forma a reduzir a aglomeração de funcionários, esquecendo-se completamente de todo o processo de deslocamento desses funcionários até as fábricas e de trabalhadores que viajam pelo país, estes podendo contrair o vírus e trazer para a cidade ou virem a ficar presos longe da família em possíveis fechamentos de estradas.

Parte do decreto de 20/03/20 da prefeitura, onde fazem apenas uma "recomendação" às indústrias

             
Tanto prefeitura quanto Intersind não podem ficar esperando decretos federais pra agir, ainda mais nesse momento em que vivemos, de uma carência enorme de atitudes do governo federal pra conter o vírus. Basta fazer uma pesquisa rápida pela internet pra saber que a projeção do contágio do Covid-19 no Brasil é tão grande quanto ou até maior que na Itália, onde caminhões militares precisam levar centenas de caixões pra longe dos grandes focos de infecção para serem cremados, já que os cemitérios de tais locais foram fechados por falta de vagas.

              Projeções para levar em consideração


              Somente no dia 20 de março no Brasil, 24º dia após o primeiro caso, o número de casos confirmados passou de 621 pela manhã pra 977 à noite (última atualização às 22:30), e o número de mortes passou de 7 pra 11. Já na Itália no 23º dia após o primeiro contágio, foram 155 casos e 3 mortes, número bem inferior se comparado ao Brasil no mesmo período, mas que levando em consideração o território e população, fica mais ou menos compatível. Hoje, 50 dias após o primeiro contágio na Itália, o número é de 47.021 infectados e 4.032 mortos, sendo 627 dessas mortes em apenas 24 horas. Ou seja, se o Brasil continuar no ritmo de contágio atual, os resultados poderão ser catastróficos como na Itália ou ainda piores, ainda mais levando em consideração a falta de atitudes do governo federal.
              Inclusive já foi feita uma pesquisa (dados mais resumidos aqui e mais detalhados aqui) pra calcular a projeção do contágio no Brasil. No pior cenário possível, se não forem tomadas as devidas medidas pra conter o vírus (distanciamento social ou uma possível vacina), os casos podem chegar a mais de 100 milhões (o que equivale a metade da população brasileira), com até 2 milhões de mortos. É um número aterrorizante e que pode sim vir a acontecer se nada for feito. Por isso é tão importante nesse momento que somente os serviços essenciais sejam mantidos e os demais sejam suspensos, pra que o máximo de pessoas possa ficar em isolamento e assim frear o ritmo de contaminação até que uma vacina possa ser desenvolvida ou o tratamento dos infectados seja aperfeiçoado e acelerado. Funcionários aglomerados em fábricas, pegando transporte público e principalmente viajando pra outros estados são o prenúncio de um grande desastre, nesse caso em específico, massacre de trabalhadores em nome do lucro e da preservação da economia, que deveria estar longe de ser prioridade agora.

              Aos funcionários dessas empresas e aos seus familiares é necessário que se organizem (nada de manifestações na rua), paralisem, façam pressão por telefone ou internet, divulguem e exponham essa atitude gananciosa e egoísta da prefeitura de Ubá e do Intersind, pra que reconsiderem e fechem por tempo indeterminado todas as fábricas de móveis (e demais itens não essenciais) da cidade, além de prover a seus trabalhadores a devida remuneração nesse período. Que eles cobrem do presidente, que provavelmente ajudaram a colocar no poder, o seu dever de fornecer recursos pra arcarem com isso.

              Toda a economia do país sofrerá com a crise, como já está acontecendo mundo afora. Será um momento difícil pra todo mundo, principalmente pros trabalhadores REAIS, das camadas mais baixas da pirâmide social, mas se tomarmos os devidos cuidados e tivermos solidariedade conseguiremos passar por isso. “Economia salva” nenhuma paga a vida de uma pessoa. E por mais que eles tentem, não conseguirão salvar nada e quando se derem conta disso as coisas já estarão fora de controle.

              Não tenho com isso a menor intenção de ser sensacionalista ou causar pânico, mas sim conscientizar da situação real que estamos passando e do que pode vir a acontecer se não tomarmos os devidos cuidados. Tudo o que eu disse aqui foi muito bem fundamentado em fontes SÉRIAS, devidamente citadas ao fim do texto, não em vídeo de Whatsapp. Se cuidem, cuidem da sua família, se informem em fontes sérias sobre o que está acontecendo. Não acreditem em tudo que recebem no Whatsapp, pesquisem a veracidade das informações. A situação é ruim no mundo todo, a China está começando a se recuperar na questão do vírus (que já foi mais que provado que é natural e não foi criado em laboratório) e sofreu um baque gigante na sua economia, assim como todos os países afetados sofrem. Mas foram rápidos nas medidas de contenção e por isso conseguiram frear o contágio. Não acreditem em pessoas que só estão interessadas em falar sobre "perda de dinheiro" e "colapso de economia". Isso vai acontecer de qualquer jeito. Foque na sua saúde e da sua família.

              
Enquanto não há vacina ou tratamento rápido o único meio de conter a situação é isolamento social, ficar em casa! Cobrem dos seus empregadores! Divulguem as violações de direitos, exponham pra que todo mundo saiba e quem sabe eles se envergonhem. Pra que quando tudo isso acabar todo mundo saiba muito bem de quem comprar e em quem votar.


Fontes:
-Post da prefeitura de Ubá no Facebook: https://bit.ly/397xJPx
-Sobre as dimensões do polo moveleiro de Ubá: https://glo.bo/33AVyOu
-Sobre o despreparo do sistema de saúde de Juiz de Fora: https://bit.ly/2U5uNPb
-Sobre a quantidade de casos em Juiz de Fora: https://glo.bo/394thRP
-Comunicado do presidente da Intersind na rádio Líder FM: https://bit.ly/2xcRfwY
-Matéria onde diz que haverá nova reunião somente na segunda-feira dia 23/03: https://bit.ly/2U8MBcn
-Decreto da prefeitura de Ubá - Diário Oficial 20/03/20: https://bit.ly/2WIz3pN
-Sobre a projeção do contágio de Covid-19 no Brasil ser semelhante ao da Itália: https://glo.bo/2UtIGpi
-Sobre os caminhões transportando caixões pra cremação na Itália: https://glo.bo/2xh8Uni
-Número de casos no Brasil: https://glo.bo/33AZyyB
-Comparação do 20º dia de contágio do Brasil e Itália: https://bit.ly/2JgT0vX
-Número de casos confirmados e mortes na Itália em 20/03: https://glo.bo/2xi7Uio
-Dados da pesquisa de projeção do contágio no Brasil sem medidas de contenção, resumido: https://bit.ly/2U7H3Pj
-Dados da pesquisa de projeção do contágio no Brasil sem medidas de contenção, detalhado: https://bit.ly/39aaCUq
-Dados mostrando que o Covid-19 não foi criado em laboratório: https://bit.ly/2WxDbsg
-Comunicado prefeitura de Ubá sobre fechamento da indústria e comércio: https://bit.ly/2UvqsUi
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...